Quais são os melhores remédios para cólica menstrual?

Quais são os melhores remédios para cólica menstrual?

Não importa a idade ou fase da vida, quando o período menstrual se aproxima, muitas mulheres já começam a procurar os melhores remédios para as dores provindas desse ciclo, pois sabem que esse incômodo sempre acompanha a menstruação. É por esse motivo que saber quais são os melhores tratamentos para esse problema é tão importante. Afinal, ninguém merece sofrer todo mês com as terríveis cólicas menstruais, não é mesmo?

Pensando nisso, desenvolvemos este post para mostrar quais são os melhores remédios que ajudam no combate às dores menstruais. Também traremos outras informações relevantes sobre o assunto, de modo que este material sirva como um verdadeiro guia completo. Ficou interessada? Então acompanhe os tópicos a seguir, pois esclarecemos as principais dúvidas que as mulheres têm sobre a cólica menstrual.

O que é a cólica menstrual e como ela acontece?

Também conhecida como dismenorreia, a cólica é um sintoma que acomete muitas mulheres que estão em seu ciclo de menstruação. É importante salientar que existem dois tipos desse desconforto, sendo que um deles é considerada normal e o outro pode ser provocado por doenças graves. Veja!

Cólica primária

A cólica primária não tem uma origem conhecida, e pode ocorrer desde a menarca — primeira menstruação da mulher — até o último ciclo, a chamada menopausa ou climatério.

Embora seja incômodo, a cólica é normal e pode acontecer em muitas mulheres. Nesse caso, o indicado é que sejam utilizados remédios específicos para a dor, com o objetivo de aliviar os sintomas e, assim, terminar com o desconforto.

Cólica secundária

Já a cólica secundária é mais grave que a primária, e ocorre em decorrência da manifestação de doenças no organismo — endometriose, miomas e inflamações pélvicas podem provocar esse tipo de desconforto.

É por isso que convém que as mulheres façam sempre um acompanhamento com um médico ginecologista. Afinal, apenas esse profissional poderá diagnosticar a causa da cólica secundária e, assim, recomendar o tratamento mais adequado para cada situação.

Quais são os tipos de absorvente que podem ser utilizados e qual a relação com a cólica?

Existem vários tipos de absorventes que podem ser utilizados quando ocorrer o ciclo menstrual. No entanto, é necessário ter alguns cuidados, uma vez que o uso incorreto desse artifício, poderá causar problemas que pioram a cólica menstrual.

Absorvente protetor diário

Apesar de ter esse nome, não se recomenda que o absorvente protetor diário seja utilizado todos os dias. Afinal, embora a região genital produza secreções todos os dias, é preciso que ela tenha liberdade para transpirar.

Quando a vagina é abafada pelo protetor diário, as secreções ficarão acumuladas no local, aumentando as chances de micro-organismos, como os fungos e bactérias, se desenvolverem. Isso pode causar problemas como a coceira e o mau cheiro, bem como as infecções que, como sintoma, desencadeiam a cólica menstrual.

Absorvente higiênico

O absorvente higiênico é o tipo mais comum do produto e é utilizado pela grande maioria das mulheres, podendo ser encontrados nas farmácias e supermercados nos mais diversos tipos e tamanhos.

Quando o fluxo ainda está fraco, utilizar os absorventes mais finos resolve o problema dos vazamentos. No entanto, quando ele aumenta, é importante utilizar um modelo mais grosso e com abas. Além disso, a troca precisa ser mais frequente.

É importante que a troca do absorvente higiênico seja feita pelo menos uma vez a cada quatro horas no período menstrual. Isso se justifica pela necessidade de o sangue acumulado não abafar a região genital e proporcionar o desenvolvimento de bactérias que podem gerar infecções e cólicas.

Absorvente interno

Há, ainda, o absorvente interno, que é visto pelos ginecologistas como uma boa opção para evitar a proliferação de fungos e bactérias na região íntima, uma vez que ele não entra em contato com a parte externa do corpo.

Além disso, por ser interno, ao utilizar esse tipo de absorvente é possível fazer atividades físicas, entrar no mar e na piscina, entre outras ações que são complicadas de serem executadas utilizando um absorvente comum.

Coletor menstrual

Também conhecido como copinho, o coletor menstrual é feito de um tipo de plástico especialmente desenvolvido para que seja maleável e higiênico. Assim, o produto deve ser introduzido na vagina, de modo que todo o sangue da menstruação fique armazenado dentro dele. A cada quatro horas, a mulher deve retirar o coletor, fazer o descarte do sangue e lavá-lo para ser inserido novamente na região genital.

Esse modelo, assim como o absorvente interno, é útil para que fungos e bactérias não se desenvolvam na região íntima, evitando o surgimento da cólica secundária.

Como você pode perceber, o tipo de absorvente usado quando se está menstruada afeta na saúde íntima e pode contribuir para que doenças se proliferem, cujo sintoma principal é a cólica secundária. Dessa forma, é preciso estar sempre atenta aos sinais que demonstram que há algo errado com a sua menstruação.

Quais são os sinais que demonstram que há algo errado com a menstruação?

As cólicas muito fortes são sinais de que algo está errado com a sua menstruação. Além desse sintoma, outros sinais também podem se manifestar. Sendo assim, continue com a leitura e confira, brevemente, sobre cada um deles.

Aumento repentino do fluxo

Quando o seu fluxo menstrual sofre um aumento repentino, é sinal que as alterações hormonais possam acontecer. Além disso, tal característica também pode indicar a presença de um mioma.

Diminuição repentina do fluxo

Assim como o aumento do fluxo indica algo errado com a menstruação, o mesmo ocorre quando ela diminui consideravelmente. Após descartar a possibilidade de gravidez ou o climatério, no caso de mulheres com idades acima dos 40 anos, é preciso analisar o que está causando essa diminuição.

A menstruação diminuída pode indicar problemas endocrinológicos, que precisam ser avaliados pelos médicos ginecologista e endocrinologista. Além disso, essa diminuição pode causar as temidas cólicas.

Ciclo irregular

O ciclo irregular pode acontecer por diversas causas que, geralmente, são relacionadas a questões hormonais. Assim, se uma mulher passa por uma situação de forte estresse emocional, por exemplo, pode ocorrer uma alteração nos hormônios e, consequentemente, ter o ciclo irregular — outra causa disso é o uso de pílulas do dia seguinte.

No caso de a menstruação ocorrer mais de uma vez por mês e vir acompanhada de fortes cólicas, pode ser o indício de lesões no colo do útero. Tais lesões, se não tratadas de imediato, podem desenvolver o câncer, sendo muito necessário a consulta com médico sempre que isso ocorrer.

Como a alimentação pode influenciar no alívio da cólica menstrual?

Um fator que pode influenciar na aparição dos sintomas da tensão pré-menstrual — a famosa TPM — é a alimentação da mulher. Existem alguns alimentos que podem ser incluídos na sua dieta para evitar que a cólica menstrual seja um sintoma frequente no seu cotidiano.

Os laticínios são ricos em cálcio, uma substância que age diretamente na musculatura lisa do útero. Sendo assim, o consumo de leite e seus derivados é muito importante para que a mulher evite sofrer as cólicas menstruais. Outro ótimo nutriente é o ácido graxo, que apresenta propriedades anti-inflamatórias que contribuem para o alívio das dores — ele é encontrado em alimentos como as nozes e castanhas, peixes, abacates etc.

Além disso, também é indicado o consumo de muitas frutas e hortaliças, que são compostas por líquidos e vitaminas que contribuem para o não surgimento de dores abdominais no período menstrual.

Quais são as alternativas naturais e alopáticas para a cólica?

Existem algumas alternativas alopáticas — a chamada medicina natural — que podem ser úteis para o alívio e prevenção das cólicas menstruais. Veja algumas delas, na sequência.

Chás

Beber chás que tenham ações analgésicas é uma atitude que pode contribuir muito para o combate às cólicas menstruais. Os mais indicados e que podem estimular a circulação periférica e amenizar as dores são os de ervas como a lavanda, a mangueira, o agnocasto, a alfavaca e a Artemísia.

Acupuntura

A acupuntura é uma técnica milenar que pode ser aplicada por profissionais como fisioterapeutas e farmacêuticos que tenham especialização na área.

De acordo com os especialistas da medicina tradicional chinesa, as cólicas menstruais ocorrem em decorrência do desequilíbrio entre órgãos, como o baço, o fígado e o pâncreas. Assim, as técnicas de acupuntura podem ser uma boa opção para evitar as temidas dores no período da menstruação.

Massagens

Alguns tipos de massagens também contribuem para que as cólicas menstruais amenizem. A técnica mais recomendada é a que utiliza pedras quentes, uma vez que o calor têm um efeito muito eficaz contra o inchaço, comum no período menstrual.

Exercícios físicos

A prática esportiva também deve ser vista como uma aliada das mulheres que sofrem com cólicas menstruais. Isso se justifica pelo fato de os exercícios aeróbicos provocarem uma sensação de euforia e prazer, de modo que o desconforto fique em segundo plano para o organismo.

Além disso, as atividades físicas dilatam os vasos do colo do útero, de modo que a passagem de sangue é facilitada e a menstruação ocorre mais facilmente.

O que é a endometriose e qual é a sua relação com a cólica menstrual?

É chamada de endometriose a doença que caracteriza a implantação do tecido do útero da mulher em outros órgãos do corpo, como os ovários, a bexiga ou o intestino. Esse deslocamento causa fortes dores abdominais e cólicas menstruais.

Apesar disso, pelo fato de muitas mulheres já apresentarem as cólicas primárias nos ciclos normais de menstruação, a endometriose é uma doença difícil de ser identificada sem que sejam feitos exames mais aprofundados.

Além das cólicas menstruais, a endometriose causa outros sintomas que precisam de uma maior atenção das mulheres, como:

  • cólicas fortes também fora do período menstrual;
  • dificuldades para engravidar;
  • sangramento com muita abundância no ciclo menstrual;
  • cansaço crônico;
  • dores durante as relações sexuais e masturbação;
  • sangramentos e dores ao urinar.

Se você apresentar um ou mais desses sintomas combinados com as cólicas menstruais, é imprescindível que procure um médico e solicite uma série de exames para saber se está com endometriose. Em caso positivo, o profissional da saúde poderá lhe prescrever o tratamento adequado.

Que exames podem ser feitos para detectar a causa da cólica menstrual?

Ao realizar uma consulta com um médico ginecologista e se queixar de cólica menstrual, ele poderá lhe solicitar uma bateria de exames. Falaremos um pouco sobre os principais deles a seguir.

Papanicolau

O papanicolau é um exame ginecológico cujo objetivo é detectar a presença de células cancerosas no colo do útero. Além disso, ele também pode ser útil para diagnosticar doenças sexualmente transmissíveis como a clamídia, a sífilis, o HPV, a gonorreia, entre outras

É recomendado que todas as mulheres com idades entre os 21 e os 65 anos façam o exame papanicolau pelo menos uma vez ao ano, principalmente se sentirem cólicas menstruais fortes.

Exames laboratoriais

Os exames laboratoriais, como a análise de sangue, urina e secreção vaginal são importantes para garantir a boa saúde íntima. Os resultados dessas análises, caso alterados, podem indicar que uma investigação mais minuciosa precisa ser feita para identificar possíveis problemas.

Ressonância magnética

Esse exame de imagem proporciona que o médico visualize as taxas de sensibilidade do colo do útero e outros órgãos da mulher. Assim, é possível verificar a presença de doenças, como a endometriose, por exemplo.

Ultrassonografia transvaginal

A ultrassonografia transvaginal tem objetivos similares aos da ressonância magnética, porém com um valor mais acessível e menos eficiente.

Por esse motivo, é comum que os médicos solicitem primeiro a ultrassonografia e, se os resultados apresentarem alguma alteração, uma ressonância magnética pode ser feita para garantir melhore informações sobre o problema detectado.

Exame ginecológico meticuloso

O exame ginecológico meticuloso é feito por meio do toque vaginal e, em alguns casos, também o retal. Essa análise tem o objetivo de identificar possíveis alterações no local que possam ser indícios da presença de doenças.

Laparoscopia diagnóstica

Também chamado de videolaparoscopia, esse exame consiste na introdução de um tubo fino na vagina, permitindo que os órgão reprodutores possam ser visualizados por meio de uma câmera. Dessa forma, é possível fazer a identificação com maior clareza da ocorrência de doenças que têm como sintoma a cólica menstrual, como é o caso da endometriose.

Além disso, esse exame também é muito utilizado para diagnosticar outros problemas relacionados à região íntima da mulher, como a infertilidade, as dores pélvicas etc.

Quais são os melhores remédios para cólica menstrual?

Agora que você já conhece os motivos dos desconfortos na região do útero, chegou o momento prometido em nosso título: os melhores remédios para cólica menstrual. Portanto, continue com a leitura e entenda em quais situações cada um deles é recomendado.

Anti-inflamatórios

Os anti-inflamatórios são os remédios mais indicados pelos médicos para o tratamento de cólicas menstruais, pois eles têm como princípio ativo componentes que amenizam as dores. No entanto, é recomendado o uso de anti-inflamatórios no formato de cápsula de gel ou líquido, pois eles têm um efeito mais imediato, por serem rapidamente absorvidos pelo organismo.

Os anti-inflamatórios em comprimido também são úteis, mas podem levar até duas horas para serem totalmente dissolvidos e fazerem efeito, sendo mais recomendados para tratamento em longo prazo — e não quando se deseja que as dores cessem no momento.

Analgésicos

Aqueles comprimidos que você sempre tem na bolsa, no kit de primeiros socorros ou em sua farmacinha caseira, para combater dores de cabeça e outros incômodos também podem ser úteis para aliviar as cólicas. Os analgésicos têm efeito de, aproximadamente, 20 minutos após serem ingeridos e sua ação no organismo dura de quatro a seis horas.

Antiespasmódicos

Alguns conhecidos como medicamentos antiespasmódicos também podem reduzir as dores causadas pelas contrações do útero, sendo muito indicados para o tratamento de cólicas menstruais. O ideal é que você utilize esses remédios quando já apresentar os primeiros sintomas da tensão pré-menstrual (TPM), agindo de maneira preventiva — ou seja, para que os desconfortos não cheguem a surgir.

Remédios caseiros

Sabe aquelas receitinhas práticas que nossas avós já usavam em sua época para se livrar de problemas como as cólicas menstruais? Elas ainda são muito úteis, principalmente quando você já estiver fazendo outro tratamento de saúde e não puder fazer a combinação de medicamentos.

Entre os remédios caseiros que se destacam está o chá de gengibre com canela, já que o primeiro insumo tem propriedades anti-inflamatórias e o segundo tem um efeito analgésico. Sendo assim, a combinação dos dois itens naturais resulta na diminuição das cólicas.

Para preparar o chá de canela com gengibre, basta ferver um litro de água e acrescentar um gengibre com aproximadamente cinco centímetros e um pau de canela. Após esse tempo de fervura, coe o chá e beba até três xícaras por dia.

Outro tratamento natural que pode ser realizado é o chá de angélica-chinesa, uma planta medicinal que tem efeito similar ao dos medicamentos antiespasmódicos.

Utilizando o remédio para cólica ideal para você, essas dores deixarão de ser um incômodo mês após mês. Vale ressaltar, no entanto, que o uso de medicamentos não deve ser feito por conta própria, de modo que consultar um médico e ter um aconselhamento profissional é sempre o mais indicado.

Também já citamos alguns outros tipos de terapias alternativas anteriormente, as quais também podem ser aplicadas e são consideradas remédios caseiros.

E então, gostou do nosso artigo sobre cólica menstrual? Agora você já está muito bem informada sobre o assunto e sabe como proceder caso também sofra com esse mal.

Para que suas amigas também se informem sobre os melhores remédios para cólica menstrual, que tal compartilhar este artigo em suas redes sociais? Assim você dissemina o conhecimento dessas questões importantes para a vida de todas as mulheres.

banners_guiahipolabor_post

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.