5 tipos de remédios para cuidar da sua gripe e se recuperar rápido!

5 tipos de remédios para cuidar da sua gripe e se recuperar rápido!

Você é daqueles que não pode sentir um ventinho mais forte que já corre para pegar uma blusa para evitar o resfriado? O tempo fecha, fica com cara de chuva e você já confere se tem remédios para gripe? Este post foi pensado e é dedicado a pessoas que gostam de estar prevenidas e não dispensam os medicamentos em casa!

A seguir, vamos apresentar uma série de informações sobre a gripe, explicando o que é essa doença, qual é a sua diferença em relação ao resfriado, os tipos de gripe que existem, os 5 tipos de remédios para tratá-la, bem como alternativas naturais para o tratamento.

Se você quer saber mais sobre o assunto, não deixe de acompanhar os tópicos a seguir. Vamos lá?

O que é a gripe?

Doença infecciosa viral causada pelo vírus Influenza, a gripe tem os sintomas mais graves do que o resfriado e dura mais tempo. Apesar de termos a possibilidade de pegar gripe em qualquer época do ano, a estação mais propensa para contrair o vírus é o inverno.

Uma gripe forte pode começar com uma simples dor de garganta, dores no corpo e na cabeça, sensação de cansaço e febre. Quando os sintomas se tornam mais intensos, a pessoa perde a fome, sente náuseas e tem muita tosse.

Para isso, é preciso estar preparado e, além de muito repouso, há alguns medicamentos que podem reduzir a sensação e mal-estar.

Qual é a diferença entre gripe e resfriado?

Apesar de muitas vezes serem vistos como sinônimos pelo senso comum, a gripe e o resfriado não são a mesma doença, ainda que ambas sejam vistas como doenças do frio. Essas são patologias que se diferenciam uma da outra principalmente pela intensidade de seus sintomas e o local afetado nas vias respiratórias.

Outro ponto que diferencia uma doença da outra é que a gripe se dissemina principalmente no inverno ou nas épocas mais frias do ano. Assim, sempre que alguém está em um local fechado com outras pessoas, é bem provável que a doença se espalhe facilmente, pois o vírus se prolifera pelo ar. Já o resfriado não passa de um indivíduo para outro tão facilmente.

A seguir, vamos apresentar alguns dos principais aspectos da gripe e do resfriado para que você saiba como diferenciar as duas doenças.

Causas

A gripe é causada pelo vírus chamado Influenza, enquanto o resfriado é causado pelo Rinovírus ou ainda por outros que se assemelham em sua composição.

Duração

A duração da gripe varia entre 7 e 10 dias, já o resfriado é mais curto, e geralmente tem um período que dura entre 2 e 4 dias.

Sintomas

Os sintomas da gripe se caracterizam pela febre alta, presença de tosse, dores de cabeça e musculares, garganta inflamada, olhos lacrimejantes e coriza, ou seja, o nariz escorrendo.

Por sua vez, uma pessoa com resfriado apresenta febre baixa, tosse, dores musculares e leve dor de cabeça, mal-estar e, às vezes, a rouquidão.

Complicações

Caso não seja tratada corretamente, a gripe pode ocasionar como complicação o desenvolvimento da pneumonia. Já o resfriado, quando não tratado de imediato, pode desencadear quadros de sinusite, bronquite e otite.

Tratamentos

Os tratamentos para ambas as doenças são similares e feitos com base em medicamentos e hábitos como o repouso. Também é recomendado beber bastante líquido.

Como você pode perceber, a gripe e o resfriado são bastante similares, de modo que apenas um exame médico poderá diagnosticar corretamente o quadro de um paciente nessas condições.

O ideal é que você sempre procure ajuda profissional ao se sentir mal e evite a automedicação. Quando tomamos remédios por conta própria, além de talvez não estarmos ingerindo a medicação adequada, há a possibilidade de erro na dosagem.

Essa realidade faz com que a gripe ou o resfriado não se cure totalmente, deixando vírus remanescentes no organismo, que podem voltar ainda mais fortes ou então desencadear outras doenças.

Quais são os tipos de vacinas para gripe existentes?

Muito se fala sobre as vacinas da gripe, que podem ser tomadas nas redes pública e privada, e são voltadas principalmente para os chamados grupos de risco.

São consideradas pessoas que fazem parte do grupo de risco para receber a vacina da gripe:

  • crianças e bebês com idades entre 6 meses e 5 anos;
  • mulheres grávidas, em qualquer momento da gestação;
  • puérperas, que são as mulheres até 45 dias após o parto;
  • trabalhadores da área da saúde, como médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, secretárias, entre os profissionais que trabalhem em estabelecimentos de saúde;
  • povos indígenas de qualquer faixa etária, desde que residam em território nacional;
  • idosos, que são as pessoas com 60 anos ou mais;
  • população carcerária, ou seja, presos que estejam cumprindo pena no sistema prisional brasileiro;
  • funcionários do sistema prisional, como policiais, carcereiros e outros colaboradores de presídios e penitenciárias;
  • profissionais do ensino das redes pública e privada, em todas as esferas do conhecimento;
  • pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou portadores de necessidades especiais — nesse caso, é necessário apresentar um laudo médico apontando a necessidade da vacina.

Apesar de existirem grupos de risco para tomar as vacinas gratuitamente na rede pública, na rede privada qualquer pessoa pode adquirir doses da vacina da gripe e fazer a aplicação em clínicas, hospitais e até mesmo farmácias.

Assim, é possível optar por dois diferentes tipos de vacina da gripe: as trivalentes e as tetravalentes. Explicaremos cada um deles brevemente.

Vacina da gripe trivalente

Esse tipo de vacina é indicado principalmente para crianças com menos de 3 anos de idade. A vacina trivalente protege de 3 tipos de gripe, sendo 2 da variação A (vírus H1N1 e H3N2) e um da variação B.

Vacina da gripe tetravalente

Também chamada de quadrivalente, esse tipo de vacina, além de prevenir a contaminação pelos 2 tipos de gripe A, também protege de 2 vírus do tipo B, o Yamagata e o Victoria.

Assim sendo, uma pessoa com mais de 3 anos de idade que tomou uma vacina trivalente pode reforçar com uma dosagem da tetravalente 4 semanas após a primeira aplicação.

Quantos tipos de gripe existem?

Existem diversos tipos de gripe, sendo que cada um deles é causado pela contaminação das pessoas por vírus, sendo alguns mais moderados e facilmente combatidos com medicamentos e outros mais graves.

Para que você compreenda mais sobre os tipos de gripe, vamos explicar os principais deles.

Gripe comum

A gripe comum, como o próprio nome sugere, pode ser causada por vírus de diversos tipos, e é facilmente tratada. Ela dura entre 7 e 10 dias, podendo ter seus sintomas amenizados caso o tratamento seja feito de forma adequada.

Apesar de não ser considerada uma doença grave e ter um tratamento simples, a gripe comum precisa ser levada a sério e ser corretamente tratada. Caso isso não ocorra, o paciente pode ter seu quadro agravado e desenvolver outros tipos de patologia, como a pneumonia.

Gripe suína (H1N1)

A gripe H1N1, também chamada de gripe suína, se desenvolveu por conta de uma variação do vírus Influenza. A doença foi primeiramente diagnosticada em porcos e somente depois nos seres humanos, sendo essa a razão do nome.

Esse tipo de gripe é muito mais forte e grave do que a gripe comum, podendo levar a óbito caso o tratamento não seja realizado de imediato. Entre os anos de 2009 e 2010 houve uma grande epidemia da doença, sendo que muitas pessoas morreram por conta dela, principalmente jovens entre 5 e 24 anos de idade.

Gripe variante (H3N2)

O vírus H3N2, chamado popularmente de vírus variante, se prolifera mais facilmente entre aves e suínos, mas também pode ter variações que contaminam os seres humanos.

No início de 2018, uma epidemia desse vírus surgiu nos Estados Unidos e teve também uma incidência de porte menor no Brasil, contaminando algumas pessoas que tiveram contato com outros indivíduos doentes.

Gripe aviária (H5N1)

A gripe aviária foi descoberta em 1997 e, como o próprio nome sugere, é transmitida pelas aves. Trata-se de um dos tipos de gripe mais grave, podendo causar problemas de saúde sérios e até mesmo levar ao óbito.

Os sintomas da gripe aviária são os mesmos da gripe comum, mas mais fortes. Além disso, eles também podem ser acompanhados de náuseas, vômitos e diarreia. Em alguns casos, também é possível que ocorra a conjuntivite.

Quais são os 5 principais tipos de remédios para gripe?

Na sua farmácia de confiança, é possível comprar remédios específicos para cada sintoma: coriza, dores gerais no corpo, alergias, espirros, febres, calafrios, entre outros. Confira abaixo os mais indicados.

1. Anti-inflamatórios

Excelentes para tratar inflamações em geral e principalmente a garganta inflamada e com pus, os anti-inflamatórios atuam diretamente no problema. Medicamentos à base dos ingredientes ativos como ibuprofeno, nimesulida, naproxeno e acetaminofeno ajudam a combater a infecção.

Nesse caso, baixam a febre (agindo como antipirético) e diminuem as dores, promovendo alívio rápido (atuando como um bom analgésico). Mesmo em comprimidos, os anti-inflamatórios têm ação rápida.

2. Antialérgicos

Para quem sofre com as alergias, os antialérgicos são ótimos para combatê-las. As alergias nada mais são do que a liberação de uma substância conhecida como histamina no nosso próprio organismo.

Quando as células de defesa do corpo entram em contato com o que causa a alergia — pelo de animais, poeira, mofo etc. — há um grande despejo da substância, promovendo a alergia.

O antialérgico reduz os sintomas mais conhecidos como nariz entupido, coriza, dificuldade para respirar e falta de ar. Ele atua descongestionando o nariz e controlando os níveis da liberação da substância.

3. Vitamina C

A carência da vitamina C também implica em baixar a imunidade e, por consequência, na forte tendência de dar lugar à gripe. Para quem deseja se prevenir, o mais indicado é o uso de suplementos vitamínicos com o nutriente para melhorar o sistema imunológico e evitar complicações como infecções pulmonares.

4. Expectorante

Os expectorantes também integram a lista de remédios para a gripe que ajudam no tratamento e promovem uma recuperação mais rápida. Eles são responsáveis por remover as impurezas do ar inspirado.

Geralmente os medicamentos têm em sua propriedade o sulfoguaiacol, que é o expectorante pronto para ajudar a expelir as impurezas, e a prometazina, que auxilia no descongestionamento das vias respiratórias.

5. Antitussígeno

A tosse produtiva tem o intuito de proteger nossa árvore respiratória e remover qualquer tipo de secreção ou substância irritante, limpando as vias.

Quando a tosse se torna crônica, isto é, não serve para eliminar as secreções, ela deve ser exterminada, já que pode comprometer o sistema circulatório, reduzindo o fluxo cardíaco.

O antitussígeno atua no sistema nervoso central e inibe as ações da tosse irritativa, aquela seca e sem catarro. O medicamento age no centro da tosse, reduzindo os impulsos para que ela não aconteça.

Que remédios naturais podem ser utilizados para o tratamento da gripe?

Além dos 5 tipos de remédios para gripe anteriormente citados, existem ainda opções naturais para o tratamento da gripe. No entanto, elas sempre devem ser acompanhadas do tratamento medicamentoso, servindo apenas como algo complementar, e não exclusivo, para tratar a gripe ou aliviar os seus sintomas.

A seguir, vamos mostrar algumas receitas de remédios naturais que podem ser utilizados para o tratamento da gripe e cuidados com a saúde no frio. Confira!

Suco de laranja com limão

A laranja e o limão são frutas cítricas ricas em vitamina C. Essa vitamina, quando ingerida de forma contínua, ajuda a reforçar o sistema imunológico.

Assim sendo, o suco de laranja com limão não auxilia apenas no combate à gripe, também ajuda a prevenir a contaminação pelos vírus que ocasionam a doença.

Xarope de alho

O alho contém alicina, uma substância anti-inflamatória que contribui para melhorar o sistema de congestão nasal.

Em farmácias naturais ou boticas, é comum encontrar o xarope de alho para venda, ou então uma mistura em formato de cápsulas. No entanto, também é possível fazer o xarope de forma caseira, batendo o alho no liquidificador, com água.

Suco de maçã com mel

O suco de maçã adoçado com mel também é um bom remédio natural contra a gripe. Isso se justifica pelo fato de a combinação apresentar uma série de propriedades hidratantes.

A maçã possui vitaminas e o mel contribui para que haja uma hidratação das via aéreas. Assim, a tosse seca é amenizada.

Alho fervido com mel

Como já destacamos, o alho e o mel são úteis no combate à gripe. Assim, essa mistura pode ser muito benéfica para tratar a doença, pois une a alicina do alho às propriedades hidratantes do mel.

É possível fazer um chá contendo três dentes de alho, uma colher de mel e uma xícara de água. Tal mistura é eficaz no combate à gripe.

Suco de caju

Assim como o limão e a laranja, o caju é uma fruta riquíssima em vitamina C. Por isso, o suco de caju, combinado ao das outras frutas, contribui para um maior aporte desse componente no organismo.

Chá de equinácea

A equinácea é uma erva que estimula o sistema imunológico, sendo muito eficaz no combate à febre causada pela gripe.

Para preparar o chá, basta adicionar uma colher de sopa com a erva para cada xícara de água fervente utilizada.

Canja de galinha

A canja de galinha é um alimento rico em proteínas, carboidratos e vitaminas. Apesar de ela não melhorar os sintomas da gripe, trata-se de uma refeição totalmente balanceada e que contribui para o equilíbrio do corpo.

Que hábitos são importantes para evitar a gripe?

Além de conhecer os tipos de remédio para gripe, também é relevante buscar opções para prevenir essa doença. Na sequência, vamos apresentar uma série de hábitos que evitam a contaminação pelos vírus da gripe. Acompanhe!

Evite os ambientes secos

O uso de aquecedores e ar condicionados faz com que o ar fique muito seco e as mucosas nasais sejam ressecadas por conta disso. Essa realidade deixa as pessoas mais propensas a serem infectadas pelos vírus da gripe.

Por isso, é importante evitar esses ambientes muito secos, pois se uma pessoa com gripe o frequentar, você terá mais chances de ser contaminado por estar em uma situação vulnerável.

Mantenha a sua casa sempre arejada

A sua casa precisa estar sempre muito bem arejada para que ocorra a circulação do ar. Por isso, deixe as janelas abertas sempre que possível, para que o vírus da gripe não se concentre no local.

Além disso, em regiões muito secas ou as pessoas que moram em apartamentos em condomínios fechados podem adquirir um umidificador de ar, caso não seja possível manter as janelas abertas.

Vacine-se

A vacina é uma dos métodos mais eficazes para se proteger da gripe. Falamos anteriormente sobre os seus principais tipos e grupos de risco.

Lave as mãos com frequência

As bactérias e os vírus podem sobreviver por muito tempo nos objetos tocados por pessoas contaminadas. Por isso, se alguém levar a mão à boca ao espirrar, por exemplo, e depois tocar objetos como maçanetas e corrimãos, estará espalhando o vírus pelo local.

Por isso, convém que as mãos sejam higienizadas frequentemente para evitar o contágio com vírus espalhados, principalmente em lugares públicos. Uma dica interessante para ter as mãos sempre limpas é carregar um frasco de álcool gel na bolsa ou na mochila e fazer o uso constantemente desse produto.

Agora você já está muito bem informado sobre os tipos de remédios para gripe e sobre outras questões relevantes acerca desse tema. Então, é chegado o momento de colocar todos esses conhecimentos em prática.

Também é bastante comum que a gripe seja confundida com a dengue, o que pode ocasionar um tratamento errado e não curar a doença corretamente. Por isso, recomendamos a leitura de nosso artigo “Hipolabor ensina: quais medicamentos não tomar com suspeita de dengue”. Temos certeza de que será uma leitura útil e interessante!

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.