Angina: entenda o que é e quais são suas causas

Angina: entenda o que é e quais são suas causas

O corpo sinaliza quando alguma coisa não vai bem. Assim, é preciso estar atento para perceber os sinais que o organismo envia e, para isso, é preciso conhecê-los.

Nesse sentido, saber identificar esses avisos permite buscar a orientação médica mais adequada e, sobretudo, no tempo certo. Esse é o caso da Angina pectoris ou Angina de peito, uma ocorrência muito comum, mas que se trata de um sintoma e não de uma doença.

Continue a leitura para entender o que é Angina, quais são as suas causas e outras informações importantes!

O que é a Angina e quais as suas causas?

A Angina é uma sensação de desconforto, de aperto ou de dor localizada bem no centro do peito. Essa dor pode ser sentida também nos ombros e nos braços, principalmente, do lado esquerdo. Às vezes, o pescoço, as costas e as mandíbulas podem ser afetados. A simples dor no peito pode ser provocada por outros eventos, como a arritmia cardíaca, por exemplo.

A dor da Angina é intermitente e tende a ser mais intensa diante de um esforço físico, podendo reduzir quando o corpo está em repouso. Algumas pessoas, no entanto, apresentam dor intensa mesmo nesta condição.

A Angina é um aviso do organismo sinalizando que o coração não está recebendo a quantidade de sangue que necessita para abastecê-lo de oxigênio e nutrientes. É um alerta para providenciar correção das irregularidades que estão impedindo o abastecimento adequado do músculo cardíaco.

Esse evento chamado isquemia cardíaca (redução da irrigação sanguínea), é resultante do acúmulo de placas de gordura depositadas nas paredes da artéria coronária que abastece o coração, reduzindo a fluidez do sangue. O entupimento de um vaso sanguíneo como este, é chamado de aterosclerose.

Como fazer o diagnóstico?

A Angina mais comum surge em momentos de maior esforço, quando o coração é mais requisitado. Entretanto, pode ser resultante também de situações estressantes. Existem 3 tipos de Angina, cada um com seu grau de gravidade:

Angina estável

A Angina estável resulta de uma situação menos intensa, provocada por uma isquemia transitória, que em alguns momentos pode piorar. A dor pode durar de 3 a 15 minutos e irradiar-se pelo braço, ombro e pescoço, mas melhora com o repouso ou com a utilização de medicamentos que aumentem o fluxo sanguíneo.

Angina instável

Resulta de uma maior obstrução da artéria e, portanto, configura uma situação mais grave. Caracteriza-se por uma forte queimação no tórax, e que também se irradia, além de poder associar-se a suor, enjoo e falta de ar. O repouso não melhora a dor e, nesse caso, a assistência médica é urgente.

Angina variante

A Angina variante é o tipo mais raro e resulta de espasmos da própria artéria. Este tipo pode não estar relacionado com entupimento do vaso sanguíneo, e sua origem não é bem conhecida.

Como é o tratamento?

Os tratamentos para Angina não constituem uma abordagem definitiva. Seu objetivo é reduzir a frequência e a intensidade da ocorrência da dor, além de prevenir o risco de um ataque cardíaco.

Para o tratamento, podem ser considerados medicamentos específicos, procedimentos especiais indicados pelo médico, mas, principalmente, mudanças nos hábitos e na rotina diária da pessoa. As medidas preventivas incluem:

  • reduzir o peso;
  • abandonar o tabagismo;
  • evitar esforço físico;
  • controlar o estresse;
  • manter uma alimentação saudável;
  • praticar atividade física leve e controlada.

E ai, conseguiu entender o que é Angina? Assine nossa newsletter para receber mais conteúdos relacionados a saúde!

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.