Hipolabor ensina: como funcionam os medicamentos anticoagulantes

Hipolabor ensina: como funcionam os medicamentos anticoagulantes

Você já reparou naquele alerta do Ministério da Saúde (MS) após um comercial de determinados medicamentos: “este medicamento é contraindicado em caso de suspeita de dengue”? Ele está lá por um motivo, é claro!

Pois bem: alguns medicamentos aumentam a fluidez do sangue. Como os casos de dengue podem apresentar ruptura de vasos, quanto mais fluido for o sangue, maior o risco de ocorrer uma hemorragia — o que pode levar a quadros mais severos e, nos piores casos, à morte.

Assim também operam os medicamentos anticoagulantes. Acompanhe este post e saiba como eles atuam no organismo, quais os seus benefícios e quais os seus riscos!

O que são medicamentos anticoagulantes?

Coágulos sanguíneos são também conhecidos como trombos. Eles consistem na solidificação de determinada porção de sangue dentro dos vasos por meio de um processo natural, importante para os eventos de cicatrização.

Os anticoagulantes, como o próprio nome indica, são medicamentos que retardam a formação de coágulos do sangue nos vasos, isto é, mantêm a fluidez sanguínea exigindo menos esforço do coração no bombeamento.

São recomendados, por exemplo, para pessoas que experimentaram essa formação impeditiva da livre circulação do sangue, ou que têm maior chance de desenvolver um trombo. Entre estas últimas, estão aquelas portadoras de arritmia cardíaca. Por outro lado, são medicamentos que só devem ser utilizados sob estrita orientação médica.

Como eles atuam no organismo?

Quando um vaso sanguíneo é lesionado (rompido), rapidamente são acionados os mecanismos de formação de coágulos junto à parede do vaso danificado, a fim de impedir a saída do sangue, o que caracteriza uma hemorragia. É um processo natural de defesa do organismo para evitar a perda de sangue.

O lado ruim dessa realidade é que, às vezes, o coágulo não se forma na parede do vaso simplesmente vedando-o, mas em seu interior. Isso reduz o espaço por onde o sangue circula — ou mesmo bloqueia a sua passagem.

Dependendo do órgão onde o vaso se situa, o dano pode ser considerável para o corpo e com o tempo, pode ser fatal. Dentre os principais danos possíveis causados pela formação de coágulos nos vasos, podemos citar:

  • acidente vascular cerebral — AVC (rompimento de vasos no cérebro);
  • infarto do miocárdio (entupimento de artéria que alimenta o músculo cardíaco);
  • embolia pulmonar (entupimento da artéria pulmonar);
  • trombose venosa profunda (entupimento das veias profundas).

Quais os seus benefícios e os seus riscos?

Os maiores benefícios da utilização de medicamentos anticoagulantes residem na prevenção ou nos cuidados de eventos como AVC, trombose, infarto e embolia. O risco mais sério é sempre o de complicações hemorrágicas. Esse é o grande dilema observado na prática clínica: equilibrar os benefícios com o risco existente.

Os medicamentos anticoagulantes não desfazem os coágulos existentes, mas impedem ou retardam a formação de novos coágulos nos vasos. Por outro lado, também podem impedir o crescimento de coágulos já existentes.

Embora sejam muito eficazes no cumprimento de sua missão, os medicamentos anticoagulantes requerem um pormenorizado monitoramento a fim de evitar que os danos provocados superem os benefícios.

Esses cuidados devem ser maiores ainda quando houver possibilidade de interação medicamentosa, isto é, quando o paciente estiver fazendo uso de outros medicamentos.

Gostou deste post? Conhece alguém que precisa saber mais sobre o assunto? Compartilhe esse post nas suas redes sociais e deixe seus amigos por dentro do funcionamento de medicamentos anticoagulantes.

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.