Hipolabor alerta: entenda quais são os efeitos do sol na pele

Hipolabor alerta: entenda quais são os efeitos do sol na pele

O Brasil, honrando sua característica de ser um país tropical, atrai vários brasileiros e estrangeiros para suas praias e eventos turísticos ao ar livre. Com a pressa de aproveitar momentos de lazer tão agradáveis, muitos deles acabam se expondo aos raios ultravioletas sem a preocupação com os efeitos do sol na pele.

Mas o cuidado não deve ser planejado somente para os momentos de lazer, mas em toda e qualquer exposição ao sol, inclusive no inverno, em cidades não litorâneas e até que nevam, pois essa exposição pode trazer várias consequências que, se não tratadas cuidadosamente, podem prejudicar o bem estar durante toda uma vida.

No post de hoje, vamos dissertar sobre as causas, sintomas e cuidados referentes à exposição excessiva ao sol. Acompanhe:

Porque a exposição da pele ao sol pode ser prejudicial

Os efeitos do sol na pele ocorrem principalmente devido à incidência dos raios UV provenientes do sol, que é dividido em raios UVA e UVB (ambos podem provocar alterações nas células cutâneas).

Os raios UVA são indolores e incidem nas camadas mais profundas da pele. Eles aceleram o envelhecimento cutâneo e geram problemas na pigmentação da pele, já que esta é expressa por meio da quantidade de melanina liberada pelas células, que secretam melanina como resposta de defesa aos raios solares.

Os raios UVB são aqueles que estimulam o bronzeado e que são responsáveis pelas queimaduras solares.

Sintomas dos efeitos do sol na pele

Inicialmente, o primeiro sintoma da exposição ao sol são as queimaduras solares, que são imediatas e se expressam através da vermelhidão no local que ficou exposto ao sol. Além disso, reações cutâneas como fotodermatoses e fotossensibilizações são bem recorrentes devido à estimulação ocorrer justamente por causa da incidência solar.

Ao longo dos anos, através de exposição prolongada, podem vir a ocorrer sintomas mais nefastos como: aceleração do envelhecimento cutâneo, aparecimento de manchas, rugas profundas, elasticidade da pele e, no pior dos casos, o aparecimento do tão indesejável câncer de pele.

Cuidados que devem ser tomados

Para proteger a pele e evitar todas as consequências geradas pela exposição exagerada ao sol, é preciso:

  • Evitar exposição ao sol nos horários de maior intensidade solar (das 12 horas até às 16 horas aproximadamente);
  • Aplicar o protetor solar antes da exposição (duas camadas de protetor);
  • Reaplicar o protetor frequentemente, principalmente em casos onde se entra em contato com água ou se transpira muito;
  • Peles mais frágeis (como as de bebês, crianças e idosos) devem ser protegidas do sol a todo instante, pois as consequências da exposição solar nessas pessoas tendem a ser mais rápidas e graves.

O sol não é o inimigo dessa história toda. Ele nos proporciona uma absorção muito maior de nutrientes no organismo. Porém, sua exposição excessiva pode trazer efeitos do sol na pele que podem causar desde danos estéticos até problemas de saúde graves. Por isso é necessário ficar atento e tomar cuidado ao sair de casa em dias ensolarados, inclusive para prevenir outras doenças, como as micoses.

Você já apresentou alguns dos sintomas da exposição excessiva ao sol citados nesse post? Ou se cuida da maneira correta para evitar isso? Deixe seu comentário, entre para a conversa e troque ideias com nossos leitores!

banners_10coisas_post

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.