Hipolabor esclarece: saiba tudo sobre a febre chikungunya

Hipolabor esclarece: saiba tudo sobre a febre chikungunya

A febre chikungunya tem aparecido com frequência nas notícias do país. A doença, uma arbovirose prima da dengue, vem se expandindo e adoecendo mais gente desde 2013, quando foi identificado no Oiapoque o primeiro caso de febre chinkungunya do Brasil.

Está na hora de você também saber tudo sobre a febre chikungunya. Então continue a ler o nosso post e fique por dentro!

O que significa chikungunya?

O termo chikungunya vem do idioma makonde, utilizado em uma região da Tanzânia, e significa “curvar-se” ou “tornar-se contorcido”. É uma referência à posição adotada pelas pessoas acometidas pela doença, que se curvam para reduzir a sensação de dor nas articulações, um dos sintomas mais comuns.

Quais são os sintomas da doença?

A doença que pode ser subaguda, aguda ou crônica se caracteriza por uma febre alta de início súbito, dor de cabeça, dores musculares e articulares intensas e erupções cutâneas maculopapulares, podendo alguns sintomas persistirem por anos. Entre 3 e 28% dos infectados não há qualquer sintoma e, quando há, a maioria se resolve em poucas semanas. Não há preferência de sexo ou de idade, mas a doença pode causar sintomas mais graves e até levar à morte pessoas mais frágeis, como idosos, recém-nascidos e quem já possui outras doenças crônicas.

Como ocorre a transmissão da febre chikungunya?

No Brasil, a doença é transmitida pela picada de dois mosquitos do gênero Aedes, o Aedes aegypti e o Aedes albopictus, que também estão relacionados à transmissão da dengue, da febre zika e da febre amarela. Há também a transmissão vertical, de mãe para filhos, no momento do parto e via transfusão sanguínea, casos cada vez mais raros devido ao controle de qualidade em bancos de sangue.

Por que a grande preocupação com a febre chikungunya?

Os vetores da doença, os mosquitos do gênero Aedes, estão presentes em 94% dos municípios brasileiros e toda a nossa população é suscetível à doença, já que nunca houve contato prévio com o vírus. Isso permite que a doença se espalhe por todos os estados e provoque uma epidemia. Só em 2015, já foram notificados mais de 3 mil casos suspeitos, dos quais 1683 foram confirmados sendo todos autócnes da Bahia e do Amapá. Embora a febre chikungunya não leve à morte com frequência, a dor articular pode ser uma sequela durante anos e acabar provocando deformidades, incapacitando o doente.

Como é feito o tratamento?

Por se tratar de uma infecção viral, o tratamento é meramente de suporte ao paciente para alívio dos sintomas. O mais importante é garantir a hidratação com alto consumo de líquidos e reduzir a dor com analgésicos simples, como o paracetamol. O uso de aspirina e anti-inflamatórios é contraindicado principalmente pelo risco de a doença ser confundida com a dengue e o paciente acabar tendo uma hemorragia

Como diferenciá-la da dengue?

A dengue, que representa uma epidemia no nosso país, provoca sintomas bem parecidos com a febre chikungunya como febre alta, dores intensas pelo corpo e dor de cabeça. No entanto, a dengue quase não gera dor articular e costuma provocar alterações sanguíneas e sintomas hemorrágicos com mais frequência do que a febre chikungunya, apresentando uma taxa de letalidade bem mais alta.

Embora ainda não haja casos confirmados no país, a febre zika também representa um diagnóstico diferencial importante. Essa doença também é uma arbovirose transmitida pelo mesmo mosquitos da dengue e da febre chikungunya mas provoca um quadro de sintomas mais leve com febre, dores no corpo, manchas na pele, diarreia e conjuntivite.

Agora que você já sabe tudo sobre a febre chikungunya, navegue pelo nosso blog e aprenda mais com os outros posts!

banners_ebook_post

 

 

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.