Hipolabor informa: os 7 remédios mais vendidos no Brasil

Hipolabor informa: os 7 remédios mais vendidos no Brasil

Com uma população de mais de 200 milhões de pessoas e com a prevalência de doenças crônicas em ascensão, o Brasil é um dos países que mais consome medicamentos no mundo. Dentre os mais vendidos temos analgésicos, anti-hipertensivos, descongestionantes nasais e até ansiolíticos. Quer descobrir quais são os remédios mais vendidos no Brasil? É só ler o nosso post!

Neosoro

Em 2014, esse descongestionante nasal foi o medicamento mais vendido em volume no país, quase atingindo o incrível valor de 40 milhões de unidades. Os descongestionantes nasais possuem substâncias, no caso do neosoro trata-se do cloridrato de nafazolina, que agem estimulando o sistema simpático e promovendo a vasoconstrição. Isso reduz o edema da mucosa nasal e as secreções, aliviando o sintoma de congestão.

O uso desses medicamentos, no entanto, é controverso já que após algumas horas há um efeito rebote do sistema parassimpático, que provoca a congestão novamente. O paciente acaba se perdendo nesse ciclo vicioso e utilizando o descongestionante o tempo todo.

Dorflex

O dorflex já recebeu o primeiro lugar no ranking dos medicamentos mais vendidos em anos consecutivos e nunca deixa de estar entre o top 10. Um comprimido de dorflex possui 300mg de dipirona monoidratada, 35mg de citrato de orfenadrina e 50mg de cafeína anidra, lhe conferindo um grande poder analgésico e de combate à dor muscular e à cefaleia, duas queixas extremamente comuns na população.

Losartana

A losartana é um bloqueador do receptor de angiotensina, que age sobre o eixo do sistema renina-angiontensina-aldosterona que aumenta a reabsorção de sódio e, consequentemente, a retenção hídrica. Ao inibir esse eixo, a losartana reduz o ganho hídrico e reduz a volemia, reduzindo a pressão arterial. É o anti-hipertensivo mais comumente usado.

Sinvastatina

As estatinas são utilizadas para a redução de níveis de colesterol, LDL e triglicérides e para o aumento do HDL, sendo a sinvastatina o mais frequentemente prescrito. As dislipidemias são um grande fator de risco para doenças cardiovasculares, como infartos e acidentes vasculares encefálicos, e, quando controladas, acarretam a redução da mortalidade de pacientes com risco para essas condições.

Neosaldina

Sempre entre os primeiros lugares também está a neosaldina, um dos medicamentos mais utilizados para cefaleias. Com isometepteno, dipirona sódica e cafeína, ela consegue estimular o sistema simpático, e agir de forma antiespamódica, analgésica, anti-inflamatória e vasoconstritora,  reduzindo a vasodilatação que gera a dor de cabeça. A cafeína ajuda também a aumentar os processos cerebrais, como a concentração e o raciocínio, e ajudar o paciente a realizar suas atividades diárias.

Rivotril

Esse ansiolítico vem ascendendo na lista nos últimos anos. Embora seja um medicamento de tarja preta, o clonazepam (nome comercial: rivotril) conseguiu se tornar tão popular por ser um benzodiazepínico. Essa classe de medicamentos, que inclui também o diazepam, é altamente eficaz em combater sintomas ansiosos e a insônia e não parece gerar qualquer efeito colateral no curto prazo. No entanto, o uso desse medicamento leva à dependência, devendo ser feito pelo menor tempo possível e a longo prazo está associado a síndromes demenciais.

Puran T4

O puran T4, a levotiroxina sódica, é um medicamento de reposição hormonal para pacientes com hipotireoidismo. A dosagem desse medicamento pode varia de 25 a 200mcg e visa suprir as necessidades individuais sem provocar uma condição inversa de excesso de hormônios tireoidianos. O medicamento pode ser utilizado por pacientes de todas as idades e, inclusive, durante a gravidez.

Você conhece algum outro medicamento que está sempre com as vendas em alta? Conte para a gente nos comentários!

 

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.