Hipolabor informa: quais os prejuízos de tomar remédios para dormir sem precisar

Hipolabor informa: quais os prejuízos de tomar remédios para dormir sem precisar

Há diversos remédios que provocam sedação e podem ser utilizados como indutores de sono: descongestionantes nasais, anti-histamínicos, antidepressivos e antieméticos estão entre eles. No entanto, não há dúvida de que os mais eficazes são os benzodiazepínicos (alprazolam, clonazepam, diazepam, lorazepam, etc). Esses medicamentos agem principalmente como ansiolíticos, mas são frequentemente usados no tratamento de insônia, já que a ansiedade geralmente é o que mais atrapalha uma pessoa a cair no sono.

Apesar dos benefícios, os prejuízos dos benzodiazepínicos são ainda maiores. Quer descobrir quais são eles? Continue com a leitura!

Efeitos colaterais imediatos

Os efeitos mais comuns são pela permanência dos efeitos hipnóticos durante o dia, como a sedação, a sonolência, a sensação de ressaca, a lentificação mental e dos reflexos. Em idosos, esse estado pode provocar quedas e fraturas ósseas, gerando consequências graves.

Maior risco de morte

Um estudo demonstrou que o uso de medicamentos para dormir aumenta em até cinco vezes o risco de morte. Esse aumento era praticamente independente da dose, com quatro comprimidos por ano já sendo suficiente para aumentar a chance de morte em três vezes.

Maior risco de câncer

O risco de desenvolvimento de câncer de pulmão, cérebro, intestino, mama e bexiga já foi considerado maior em indivíduos que consomem benzodiazepínicos com frequência. No entanto, outras pesquisas mostraram que não há relação entre essas doenças e o medicamento. A associação então se mantém controversa e aguarda o resultado de novas pesquisas.

Dependência

Após alguns meses de uso, os pacientes se tornam dependentes dos benzodiazepínicos e não conseguem mais dormir sem a ajuda desses medicamentos. A crise de abstinência se caracteriza por uma ansiedade elevada, crises de psicose e distúrbios do sono. O risco de dependência é maior em mulheres e aumenta com a dose, com o tempo de tratamento e em pacientes com história de abuso de drogas.

Tolerância

Comumente acompanhando a dependência, a tolerância consiste na necessidade de doses maiores para obter o mesmo efeito. Isso significa que se duas gotas de Rivotril eram suficientes para uma boa noite de sono, após algum tempo, cinco gotas serão necessárias. Esse efeito também é mais comum em mulheres.

Declínio cognitivo

O uso de benzodiazepínicos por mais de três meses já foi associado à aceleração do declínio cognitivo e instalação de um quadro de demência mais cedo, com sintomas de confusão mental, agitação, perda de memória e mudanças de personalidade.

Maior risco de suicídio

Com a dependência e todos os outros efeitos colaterais, o uso prolongado de benzodiazepínicos gera um aumento do comportamento de risco, seja em relação ao consumo de álcool e outras drogas ou a tentativas de suicídio. O uso desse medicamento por pacientes com risco de suicídio, portanto, deve ser feito criteriosamente.

Overdose

A overdose de benzodiazepínicos em uso isolado é rara, mas quando esses medicamentos são combinados com outros depressores do sistema nervoso central, como o álcool, o efeito pode ser fatal.

Como mais de 20% da população apresenta algum distúrbio do sono, esses medicamentos são extremamente comuns. O rivotril (clonazepam) é um dos medicamentos mais vendidos no Brasil, ficando entre os dez mais consumidos. Os casos de overdose, embora raros, superaram os 30 mil em 2012. Desse ano para o seguinte, as vendas de benzodiazepínicos tiveram uma alta de 22%, uma diferença de R$2,5 bilhões.

Devido à dificuldade de um uso racional, os benzodiazepínicos e outros hipnóticos estão sempre dentre as pesquisas de grandes centros mundiais. Recomenda-se sempre que a insônia seja vista em sua totalidade e tratada por meio comportamentais e psicoterápicos de forma a limitar o uso de benzodiazepínicos a um curto período de tempo e reduzir seus efeitos colaterais.

E então, está preparado para solucionar as dúvidas dos seus clientes sobre os prejuízos gerados pelo uso de remédios para dormir sem necessidade? Se você ficou com alguma dúvida escreva para nós através dos comentários!

 

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.