Hipolabor informa: tudo o que você precisa saber sobre a prescrição farmacêutica

Hipolabor informa: tudo o que você precisa saber sobre a prescrição farmacêutica

Há muita gente que acha que farmacêuticos não podem prescrever, mas, na verdade, eles podem sim, desde que seguindo algumas regrinhas. A prescrição farmacêutica é, inclusive, considerada benéfica para o sistema de saúde, atendendo às demandas do sistema e contribuindo para a redistribuição da divisão do trabalho entre os profissionais de saúde. Quer entender mais sobre como funciona a prescrição farmacêutica? No post de hoje vamos mostrar tudo o que você precisa saber sobre esse assunto! Confira:

O que é a prescrição farmacêutica?

Assim como a prescrição médica, a prescrição farmacêutica trata-se da seleção e documentação de tratamentos não farmacológicos ou farmacológicos para promover, proteger ou recuperar a saúde do paciente. O ato de prescrição pelo farmacêutico é resguardado e regulamentado pela Resolução Nº 586 de 29 de agosto de 2013 do Conselho Federal de Farmácia.

Quais as limitações da prescrição farmacêutica?

O farmacêutico pode prescrever apenas medicamentos que não necessitam de prescrição médica. As exceções acontecem caso essa prescrição seja feita após diagnóstico prévio e já esteja prevista em programas e protocolos institucionais.

Quais as vantagens da prescrição farmacêutica?

A prescrição farmacêutica expande para além do médico a responsabilidade pelo manejo clínico dos pacientes e aumenta a cobertura e a capacidade de resolução dos serviços de saúde, sendo prática comum em diversos países.

Quais medicamentos o farmacêutico pode prescrever?

É possível prescrever medicamentos industrializados, alopáticos, dinamizados, plantas medicinais, drogas vegetais e qualquer outra classe de substâncias que venham a ser autorizadas pelo órgão sanitário federal.

Quem pode fazer uma prescrição farmacêutica?

Todo e qualquer farmacêutico registrado no Conselho Regional de Farmácia e legalmente habilitado pode emitir uma prescrição farmacêutica, respeitando seus conhecimentos e habilidades em semiologia, fisiopatologia, farmacologia clínica, terapêutica e práticas integrativas e complementares, como a homeopatia. Por exemplo, para a prescrição de medicamentos dinamizados é necessária a apresentação de títulos de especialização em Homeopatia ou Antroposofia. A prescrição pode ser realizada em qualquer ambiente do serviço de saúde, incluindo farmácias, consultórios, centros de saúde, hospitais e outros, tendo-se em mente a preservação da privacidade do paciente e do sigilo profissional.

Como deve ser feita a prescrição?

A prescrição deve ser realizada por extenso e de forma legível em papel que identifique o estabelecimento da prescrição, seja uma farmácia ou um centro de saúde. Deve conter também o nome completo do paciente, o medicamento prescrito com descrição de via de administração, dose e instruções de uso. Ao final da prescrição, é necessário acrescentar o nome completo do farmacêutico, seu número no Conselho Regional de Farmácia e sua assinatura, além da data e do local da prescrição. Qualquer desvio dessas regras é vedado ao farmacêutico.

Como a prescrição farmacêutica é fiscalizada?

A fiscalização é baseada em denúncias e na apresentação de provas documentais que constatem qualquer irregularidade. O profissional que prescrever além do regulamentado pode receber advertências, multas e até mesmo ser suspenso de sua atividade profissional por um período de três a doze meses.

E então, você ainda tem alguma dúvida sobre prescrição farmacêutica? Escreva para nós através dos comentários! E para continuar por dentro de informações e novidades sobre o assunto continue acompanhando o nosso blog!

 

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.