Hipolabor alerta: 4 mitos sobre a bula de remédio

Hipolabor alerta: 4 mitos sobre a bula de remédio

A bula de remédio é um documento que possui uma série de informações técnicas importantes, que são essenciais para que o paciente e o profissional possam conhecer todas as características do medicamento.

Apesar dessa importância, a grande maioria das pessoas ainda não possui o hábito de ler as bulas. E essa falta de informação carrega vários riscos, em especial com relação aos efeitos colaterais que os remédios podem apresentar.

Daí a importância de realizar a leitura da bula! Para te ajudar, vamos citar aqui alguns mitos sobre esse documento. Saiba mais!

1. A bula de remédio nem é tão importante

Muito pelo contrário! Como já dissemos anteriormente, esse documento possui informações sobre a composição e as características do remédio, sendo extremamente importante para orientar o paciente e o profissional.

Vale ressaltar que a bula destinada ao público em geral é composta de perguntas e respostas, com o intuito de facilitar o entendimento do paciente, por isso, as informações estão colocadas de maneira direta e clara.

Por meio da leitura da bula, o paciente poderá também proceder corretamente com relação ao uso de remédio, sua dosagem e como tomá-lo, além de conhecer os efeitos colaterais e suas contraindicações, evitando problemas mais graves que poderiam decorrer pela falta de conhecimento dessas características.

2. Depois de ler a bula, posso me automedicar

Nada disso! Apesar das diversas informações presentes na bula, somente um profissional qualificado pode prescrever o remédio correto de acordo com a enfermidade. Mesmo que você necessite de soluções rápidas, uma consulta médica é sempre a melhor opção.

A bula serve como um auxílio para o paciente, permitindo que ele saiba qual a composição do remédio que está consumindo e outras informações relevantes sobre os compostos.

Existe uma infinidade de medicamentos que possuem o mesmo princípio ativo e, como os pacientes não levam isso em consideração, o uso de determinado remédio somente por meio da leitura da bula pode levar a sérios problemas.

3. Os efeitos colaterais são irrelevantes para o paciente

De jeito nenhum, certo? Apesar de grande parte dos medicamentos fitoterápicos ou naturais não possuírem contraindicações para a maioria das pessoas saudáveis, é obrigatório que todas as bulas contenham os efeitos colaterais que o remédio pode causar.

Além disso, ainda existe a possibilidade de interação entre alguns medicamentos, podendo desencadear outros efeitos. Por isso, é fundamental ter o conhecimento sobre todas as possíveis reações que o medicamento pode causar.

4. As bulas encontradas na internet não são confiáveis

Não se engane. As bulas disponibilizadas online são as mesmas encontradas nos remédios físicos. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) possui em seu site um elevado número de bulas de medicamentos — cerca de 600 —, todas atualizadas e com as informações necessárias.

É um banco de dados, conhecido como Bulário Eletrônico, que permite aos pacientes e profissionais acessarem as bulas dos medicamentos comercializados no Brasil, sejam eles genéricos, similares ou de referência.

Isso faz com que seja possível identificar aspectos pontuais nos medicamentos, como a composição, os efeitos colaterais e as indicações. Somente serão publicadas bulas que estiveram de acordo com os padrões da Anvisa.

É extremamente importante ler a bula de remédio para conhecer sua composição e seus efeitos colaterais, podendo assim utilizá-lo sem provocar consequências mais graves. Ainda está em dúvida? Então, acesse nosso post e saiba como realizar a leitura da bula.

banners_termosfarmaceuticos_post

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.