Hipolabor ensina: Como escolher o analgésico ideal para cada tipo de dor?

Hipolabor ensina: Como escolher o analgésico ideal para cada tipo de dor?

A dor é uma sensação desagradável que faz parte da vida de todas as pessoas em algum momento. Normalmente, está associada a uma destruição potencial de tecidos e pode se manifestar por meio de desconforto orgânico e/ou emocional.

Muito comuns, as dores de cabeça são bastante frequentes em grade parte da população e estão relacionadas a diversas causas. Fisiologicamente, trata-se de uma resposta central a impulsos nervosos liberados a partir de um estímulo local.

A intensidade com a qual as pessoas sentem e reagem a estes estímulos dolorosos é bastante variada. Por isso, a escolha do analgésico ideal para cada tipo de dor não segue uma regra específica.

Ainda assim, alguns fatores devem ser levados em consideração antes de se fazer essa escolha, como a classe do medicamento, seu mecanismo de ação e possíveis efeitos colaterais. Confira alguns deles na lista abaixo:

Quais os tipos de analgésicos que existem no mercado?

Atualmente, existe no mercado uma gama de medicamentos capazes de aliviar a dor.

Enquanto alguns deles têm efeitos mais generalizados — como os anti-inflamatórios não-esteroidais (AINEs) e o paracetamol —, outros já possuem ação mais específica, como os utilizados no tratamento da enxaqueca.

A principal diferença entre eles é o mecanismo de ação e os efeitos obtidos. Veja mais detalhes.

Paracetamol

Apesar de o seu mecanismo de ação não ser totalmente elucidado, acredita-se que o paracetamol atua principalmente no cérebro, bloqueando as regiões que recebem os estímulos da dor, além de influenciar as regiões que regulam a febre, reduzindo-a.

Isso significa que o paracetamol é muito eficiente para curar dores de cabeça e outras dores menores, mas não é capaz de curar dores provenientes de processos inflamatórios.

AINEs

Os anti-inflamatórios não-esteroidais atuam inibindo seletivamente as COX (enzimas ciclooxigenase 1 e 2), responsáveis pela produção de prostaglandina, um importante precursor inflamatório.

Ao inibir a enzima que produz este precursor, os AINEs são capazes de interromper o processo inflamatório e ao mesmo tempo reduzir a febre, o inchaço e a dor características da inflamação.

Alguns exemplos de AINEs são o ácido acetil salicílico (AAS), ibuprofeno, o diclofenaco sódico, naproxeno e a nimesulida.

Opioides

São utilizados em casos de dor moderada a intensa que não responde ao tratamento com AINEs. Atuam nos receptores opioides específicos.

Como escolher o analgésico ideal?

Antes de pegar o primeiro medicamento apresentado no balcão da farmácia, é necessário analisar a origem e a causa da dor, para então escolher o analgésico ideal.

Ao se automedicar, o paciente normalmente não está atento a detalhes como efeitos colaterais e interações medicamentosas que podem gerar consequências graves.

Embora muitos analgésicos sejam medicamentos de venda livre, a utilização inadequada podem trazer muitos riscos à saúde. Por isso, é aconselhável fazer uma vista ao médico para que este possa fazer o diagnóstico e indicar o tratamento mais adequado para cada caso, principalmente em situações nas quais a dor seja intensa e persistente.

Gostou do texto? Restou alguma dúvida sobre o assunto ou tem alguma experiência para compartilhar? Comente no post e conte pra gente como você escolhe o analgésico ideal para cada tipo de dor!

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.