Hipolabor explica: o que são medicamentos controlados

Hipolabor explica: o que são medicamentos controlados?

Medicamentos são todos aqueles produtos farmacêuticos elaborados com o objetivo de curar, prevenir ou ter fins de diagnóstico. O uso deles é muito comum no Brasil, fazendo do nosso país um dos campeões mundiais em vendas de fármacos dos mais diversos segmentos. Isso não quer dizer, contudo, que as pessoas saibam ao certo o que estão comprando e quais os benefícios e riscos que aquelas substâncias podem trazer para quem faz uso delas.

Os medicamentos controlados são um tipo que desperta a curiosidade e que deveriam ser melhor explicados para a população, seja por seus potenciais de tratamento, ou por seus efeitos colaterais e possíveis problemas no uso. Quer descobrir mais a respeito desses remédios? Leia o texto a seguir:

Por que classificar medicamentos?

Como os remédios têm uma infinidade de ações e possibilidades de atuação, há uma real necessidade de classificá-los conforme suas indicações, seus efeitos colaterais, inteirações e suas reações metabólicas em nosso corpo. Isso serve para auxiliar os pacientes, familiares e a população em geral sobre o risco de cada substância, além de também ajudar na didática do uso.

Dentre os principais fármacos, encontramos os medicamentos controlados, que, como o nome já diz, precisam de um controle especial, desde a época da fabricação, passando sua prescrição, venda, seu uso e posterior descarte.

O que são medicamentos controlados?

Os medicamentos controlados são aqueles fármacos sujeitos a controle especial. Eles são compostos por substâncias com ação no sistema nervoso central. Com ação intensa e potente, a maioria deles pode causar grande alívio e ser de grande utilidade para os humanos. Porém, também são capazes de causar muitos problemas, como dependência física e psíquica. Alguns são inclusive teratogênicos, ou seja, pode causa má formação fetal e danos irreversíveis ao futuro bebê.

Para adquiri-los é necessário obter receita médica especial correspondente, que sempre será retida na farmácia após a venda. É essencial, obviamente, seguir à risca as recomendações médicas.

Quais são os principais medicamentos controlados?

Existem diversos tipos, como os anabolizantes, que são feitos para substituir a testosterona (hormônio masculino), mas que também são muito usados por praticantes de musculação e lutadores para aumentar massa muscular e outras valências físicas. Estão na lista também os ansiolíticos, que inibem a ansiedade; os anorexígenos, que diminuem a fome; os anticonvulsivantes, usados no tratamento da epilepsia e crises convulsivas; os antidepressivos, que aumentam o fluxo de neurotransmissores no sistema nervoso central; os antiparkinsonianos, que são usados no tratamento do mal de Parkinson; os antirretrovirais, indicados em casos de DSTs e AIDS; os entorpecentes, indicados para aliviar dores e ajudar a regular o sono; os imunossupressores, que são potentes medicamentos que suprimem reações imunológicas desreguladas, como no lúpus, hanseníase e ulcerações severas; além dos psicotrópicos, que alteram o psiquismo; e os retinoicos, indicados em acne severa.

Como você pode observar, são inúmeros estes medicamentos e a necessidade de controle dessas substâncias provém de seus efeitos potencialmente fortes e perigosos (especialmente quando não são usados da maneira indicada e sem acompanhamento médico).

Toda essa potência acaba tornando o uso destes medicamentos arriscado, e, por isso, é tão importante limitar o uso apenas a quem realmente precisa. Afinal de contas, com saúde não de brinca, não é mesmo? Se você ficou com alguma dúvida sobre este assunto, deixe o seu comentário!

banners_ebook_post

 

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.