Hipolabor ensina: saiba como identificar os sintomas da dengue

Hipolabor ensina: saiba como identificar os sintomas da dengue

Os sintomas iniciais da dengue podem ser muito parecidos ao de um resfriado qualquer. Mas identificar a possibilidade da doença é essencial, já que o uso de alguns medicamentos vendidos sem prescrição médica é contraindicado e pode provocar complicações graves.

Quer descobrir como identificar os sintomas da dengue? Trouxemos tudinho nesse post! Confira!

Dengue clássica

É possível ter uma infecção assintomática de dengue, mas a maioria das pessoas infectadas pelo vírus após a picada pelo mosquito Aedes desenvolve um quadro chamado de dengue clássica. O quadro se inicia com febre alta, entre 39ºC e 40ºC e abrupta, que dura de 2 a 7 dias. Há também muita dor de cabeça, dor nos músculos e nas articulações, fraqueza, sensação de cansaço e uma vermelhidão da pele com prurido. Sintomas hemorrágicos leves como petéquias na pele e sangramento gengival podem ocorrer.  A resolução do quadro é espontânea.

Para diferenciar se esses sintomas estão sendo causados pela dengue ou por outra infecção viral, recomenda-se realizar a prova do laço em um serviço de saúde. Esse exame consiste em comprimir o braço do paciente com o esfigmomanômetro, como se fosse aferir a pressão arterial, até cerca de 100mmHg por 5 minutos. Retira-se o manguito e avalia o surgimento de petéquias na pele. No entanto, o resultado negativo não exclui a dengue e o resultado positivo pode ocorrer em outras doenças hemorrágicas.

Dengue hemorrágica

Quando a febre do quadro clássico começa a ceder, tem-se a fase crítica da doença que pode evoluir para um quadro de dengue hemorrágica.  Ocorre uma redução das plaquetas e um extravasamento de plasma para os tecidos, provocando sangramentos, derrame pleural e ascite. Sangramentos nasais, gengivais, vaginais, petéquias e hematomas são as manifestações mais comuns, mas podem ocorrer também sangramentos no trato gastrointestinal e no sistema urinário.

Choque associado à dengue

Se a perda de volume plasmático é muito grande devido aos sangramentos e aos extravasamentos, instala-se um quadro de choque. A perfusão dos tecidos fica prejudicada, o pulso da pessoa fica rápido e fraco, a pressão arterial cai e as mãos e os pés ficam frios. A pessoa pode ficar agitada, confusa ou irritada durante o processo, que pode levar à morte em 12 a 24 horas. Dessa forma, a qualquer sinal de choque é importante que o indivíduo procure um serviço de saúde imediatamente para receber a terapia antichoque apropriada.

O tratamento da dengue

Se a pessoa estiver bem e evoluindo sem problemas, a recomendação é como em qualquer outra infecção viral: repouso se necessário, hidratação, controle de febre com antitérmicos e das dores com analgésicos. Lembrando que o uso de ácido acetilsalicílico é completamente proibido, já que seu efeito anticoagulante irá piorar os sangramentos. Anti-inflamatórios não esteroidais clássicos e corticosteroides também não são recomendados, devendo-se utilizar apenas paracetamol.

No entanto, caso a doença esteja evoluindo para um quadro hemorrágico é necessária observação em centros de saúde. Se os sinais de desidratação e choque estiverem presentes, deve-se iniciar a hidratação venosa imediata e encaminhar para a internação hospitalar.

Aprendeu como identificar os sintomas da dengue? E diferenciá-los da febre chikungunya, você sabe? Veja também o nosso post sobre essa nova doença que está se espalhando pelo Brasil.  E lembre-se: se você suspeitar que algum paciente está com dengue deve encaminhá-lo a um serviço de saúde para avaliação médica. Para não perder nenhum post do nosso blog, assine a nossa newsletter!

 

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.