Saiba mais sobre a prevenção da caxumba

A volta do sarampo no Brasil é uma grande preocupação e indica que o país está sujeito à ocorrência de outra infecção: a caxumba. Isso porque tanto o sarampo quanto a caxumba são doenças preveníveis com as mesmas vacinas. O baixo índice de vacinação tem provocado o aumento dessas doenças. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, apenas 41% da população mineira recebeu a imunização completa.

Conheça os sintomas e como se prevenir da caxumba.

Contaminação e sintomas

A caxumba é uma doença transmitida por um vírus que afeta a parótida, a maior das três glândulas salivares. Como temos um par de glândulas parótidas em cada lado do rosto, ela pode se instalar em apenas um lado ou nos dois, de uma só vez. A transmissão ocorre por gotículas de saliva ou por contato com a saliva contaminada, como em talheres ou por beijo. Uma pessoa contaminada pode passar o vírus antes mesmo de a doença começar a manifestar.

Entre os sintomas estão inchaço e dor nas glândulas salivares, que ficam localizadas embaixo da mandíbula, dor muscular e ao engolir, cansaço, febre e mal-estar. A caxumba faz parte das chamadas doenças comuns da infância, pois acomete, principalmente, crianças e adolescentes em idade escolar, dos 5 aos 16 anos. Entretanto adultos também podem ser afetados. Quem já teve a doença está imune.

 

É verdade que a caxumba pode descer?

Sim, o vírus pode atingir testículos nos homens e ovário nas mulheres, provocando inflamação e, sem tratamento, infertilidade.

 

Tratamento

Como não há medicação específica para a doença, as recomendações são repouso e hidratação. Depois de receber o diagnóstico, o paciente não deve ir a locais públicos para não espalhar a doença. Também não deve compartilhar talheres, copos e outros objetos de uso pessoal.

 

Prevenção

A vacina é a única forma de prevenir contra a caxumba. Todas as pessoas devem tomar duas doses da tríplice viral, que protege também contra o sarampo e a rubéola. A vacina faz parte do Calendário Nacional de Vacinação e pode ser tomada em qualquer posto de saúde gratuitamente.

Crianças de 6 meses devem receber a chamada dose zero. Aos 12 e aos 15 meses, precisam receber novas doses para garantir a proteção contra as doenças. Jovens e adultos até 29 anos devem se vacinar duas vezes. Acima dessa idade, o Ministério da Saúde orienta apenas uma dose.

Quem já tomou duas doses durante a vida não precisa mais se preocupar. Se você não se lembra se foi imunizado ou perdeu o cartão de vacinação, procure uma unidade de saúde. A vacinação é contraindicada para mulheres gestantes.

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.