Hipolabor ensina: como identificar viroses

Hipolabor ensina: como identificar viroses

As viroses são as infecções mais comumente apresentadas pela população devido à grande variedade de vírus, suas mutações frequentes e a dificuldade de tratamento dessas infecções, o que aumenta a taxa de contágio. Desde o resfriado até a meningite, passando pela gripe, pelo sarampo e pelas gastroenterites,  as infecções virais podem se apresentar de diversas formas.

Então como identificar viroses? Por que os antibióticos não são utilizados? Como cuidar dos idosos e das crianças? É o que vamos contar nesse post! É só dar uma conferida!

O que é uma virose?

Antes de mais nada, vamos falar um pouco sobre quem causa essas famosas viroses. Os vírus são os micro-organismos mais simples do meio ambiente e só se multiplicam dentro da célula de outro organismo, utilizando das estruturas dela para esse processo. Cada vírus consegue invadir células específicas do organismo humano: o vírus da gripe, o influenza, ataca as células do sistema respiratório enquanto o da AIDS infecta as células T4+ do sistema imune, por exemplo.

Quais as causas mais comuns?

Os vírus que causam infecções simples e autolimitadas são os mais comuns, gerando principalmente infecções das vias aéreas superiores e gastroenterites. Adenovírus, rinovírus, paramixovírus e outros 200 tipos de vírus geram os resfriados. O influenza é responsável pela gripe, já o rotavírus pelas gastroenterites.

Quais os sintomas mais comuns?

Por serem infecções leves, as viroses geram febre baixa, redução do apetite e um pequeno cansaço, com dor muscular, mas não chegam a causar um mal estado geral, que deixa o paciente preso à cama. Nas infecções das vias aéreas é comum a rinorreia. Nas gastroenterites, enjoos, vômitos, diarreia e dor abdominal. Os sintomas virais se resolvem rapidamente, em média dentro de 2 ou 3 dias.

Como deve ser feito o tratamento das viroses?

Esse é o momento de grande frustração para os profissionais de saúde e para os pacientes, já que não há medicamentos realmente eficazes contra os vírus. Os antibióticos agem contra os mecanismos de reprodução das bactérias, mas como os vírus utilizam as estruturas do hospedeiro torna-se inviável impedir a multiplicação de todas as células do corpo.  Quando mesmo assim o antibiótico é utilizado, seu o uso acaba selecionando bactérias resistentes e promovendo a popularização dessas cepas, o que inutiliza os antibióticos disponíveis.

Mas apesar de não haver um remédio específico, ainda há muito o que se pode fazer para aliviar os sintomas da virose. É importante manter o corpo hidratado e bem nutrido, consumindo líquidos em quantidade superior à perda e tentando manter a alimentação o mais próximo da normal possível, evitando a desidratação e a desnutrição. A febre pode se reduzida, quando necessário, com antitérmicos e as dores musculares com analgésicos. O repouso não chega a ser recomendado, devendo-se evitar apenas atividades extenuantes e o contato com muitas pessoas.

As viroses são mais graves em crianças e idosos? O que fazer com essas populações?

Crianças e idosos possuem um sistema imune mais comprometido, deixando-os mais susceptíveis às viroses. Em ambas as populações é importante manter o cartão de vacina em dia e ter atenção redobrada ao risco de desidratação e de desnutrição, além da possibilidade de infecções bacterianas secundárias, o que aumenta o tempo de doença e torna os sintomas mais graves.

No entanto, nunca deve-se obrigar a criança a comer, mas sim buscar oferecer alimentos e bebidas saudáveis constantemente e permitir que a criança ingira o que conseguir. Alimentos e bebidas com alta concentração de açúcar, como os refrigerantes, podem inclusive piorar o estado de desidratação, devendo ser evitados. Em idosos, deve-se ficar atento também ao tratamento adequado das doenças crônicas e estímulo de um estilo de vida saudável. Se houver qualquer piora no estado geral do paciente, deve-se procurar o serviço de saúde.

Agora que você já sabe tudo sobre as viroses compartilhe isso com os seus pacientes! E se quiser ficar por dentro de mais informações e dicas sobre saúde assine a nossa newsletter!

 

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.