Hipolabor alerta: os riscos das compressas de álcool para baixar febres

Hipolabor alerta: os riscos das compressas de álcool para baixar febres

As receitinhas caseiras são muitas vezes bem-vindas para amenizar a tosse e outros sintomas de resfriados. Mas é preciso muito cuidado. O uso de compressas de álcool para baixar a febre, por exemplo, é comum em algumas culturas, inclusive a brasileira, mas pode ser fatal. Há poucos meses, essa prática tirou a vida de um menino de apenas dois anos na China.

Seus clientes utilizam compressas de álcool para baixar febres das crianças? Entenda com o nosso post quais os riscos desse hábito e quais alternativas os pais têm para controlar a febre. Confira!

Qual é o resultado da mistura álcool + febre?

O álcool pode provocar queimaduras na pele sensível das crianças, ser absorvido ou ser inalado, intoxicando o organismo. A intoxicação por álcool pode ser fatal, especialmente em crianças pequenas. Por isso, nunca recomende utilizar o álcool para controle da febre.

Como amenizar a febre?

A febre ocorre por um desregulamento do controlador da temperatura corporal, que fica lá no hipotálamo. Apenas os medicamentos antitérmicos conseguem agir então diretamente na causa da febre e reduzir a produção de calor. Todos os outros métodos apenas ajudam a dissipar o calor e a reduzir o desconforto, mas isso não significa que eles não devem ser usados. Pelo contrário, a recomendação é de utilizar os antitérmicos juntamente com essas dicas:

  • Deixe o paciente com roupas leves. Ao ter febre, a pessoa perde muito calor para o ambiente e acaba sentindo frio o que faz ela querer se agasalhar e entrar debaixo das cobertas, mas esse hábito prejudica a dissipação do calor e acaba piorando a febre.
  • Mantenha o ambiente arejado. A ventilação também ajuda a dissipar o calor do corpo.
  • Dê banhos mornos. Isso mesmo, nada de água fria! A água morna é bem mais confortável para o indivíduo com febre e gera o mesmo efeito, o de ajudar a tirar o calor do corpo.
  • Aumente a ingestão de água e líquidos. A temperatura alta aumenta o risco de desidratação por isso é importante manter o corpo hidratado.

Por que é importante reduzir a febre?

A febre é um sintoma importante que chama a atenção para alguma patologia subjacente, geralmente de origem infecciosa. Mas uma vez feito o diagnóstico e iniciado o tratamento, a febre costuma apenas ser uma fonte de desconforto, deixando o indivíduo mais prostrado e cansado.

Além disso, febres altas que surgem subitamente podem gerar um quadro de convulsão febril em crianças predisponentes, afetando geralmente as menores de quatro anos ou as que apresentam algum comprometimento neurológico. Apesar do susto, os pais não precisam se preocupar que essas convulsões não geram lesões cerebrais, deixam qualquer sequela ou aumentam a chance da criança ter convulsões sem febre ou epilepsia. Mas é importante fazer uma visita ao médico para ter certeza de que foi a febre que gerou a convulsão.

Os riscos da automedicação são muitos, especialmente em crianças, então não dá para ficar seguindo qualquer receitinha caseira que aparece por aí. Faça sempre essa recomendação aos seus pacientes e ajude a evitar problemas causados por automedicação e achismos.

Quer receber as novidades do nosso blog diretamente no seu e-mail? Assine a nossa newsletter!

 

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.