Hipolabor explica: O uso infantil de remédio tarja preta

Hipolabor explica: O uso infantil de remédio tarja preta

O uso de remédio tarja preta para crianças está em ascensão em todo o mundo. O sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados da ANVISA estima que, apenas no mês de outubro de 2012, foram vendidas mais de 100 mil caixas de ritalina no país, das quais a maioria é utilizada por crianças e adolescentes.

Mas será que todo esse uso é racional? As crianças realmente precisam desses medicamentos? Quais os diagnósticos mais comumente dados e quais os medicamentos mais prescritos? Responderemos a essas e outras perguntas no post de hoje. Confira!

O que são remédios tarja preta?

Remédios tarja preta são aqueles que atuam sobre o sistema nervoso central, só podem ser vendidos sob prescrição médica e são capazes de gerar efeitos colaterais graves, devendo ter o seu uso controlado.

Por que uma criança precisaria de um remédio tarja preta?

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que até 20% das crianças e dos adolescentes apresentam alguma tipo de distúrbio de comportamento ou transtorno mental. O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é um dos diagnósticos mais comuns, mas a depressão, ansiedade e insônia também costumam ser encontrados.

Em alguns desses casos, pode ser necessário o uso de medicamentos com tarja preta para que a criança tenha seu quadro controlado e consiga se inserir na sociedade, se desenvolvendo bem na escola e criando relacionamentos saudáveis com as pessoas ao seu redor.

Quais os medicamentos tarja preta mais utilizados pelas crianças?

Como o TDAH é o diagnóstico mais comum, a ritalina costuma ser o medicamento mais prescrito para as crianças e adolescentes. De outubro de 2009 a outubro de 2012, a venda da substância dobrou no país, demonstrando um grande aumento no diagnóstico e na medicalização das crianças.

Além da ritalina, antidepressivos, ansiolíticos e hipnóticos estão na lista de mais prescritos para crianças.

Qual o problema do uso de medicamentos tarja preta por crianças?

Como esses medicamentos agem sobre o sistema nervoso central, eles potencialmente podem afetar o desenvolvimento da criança, principalmente quando usados por um longo período de tempo ou quando o uso é iniciado em crianças muito pequenas, por volta dos 2-3 anos, por exemplo.

A grande questão é que, como as pesquisas de medicamentos em crianças são limitadas por questões éticas, ninguém tem certeza do impacto que essas substâncias podem trazer para a criança.

Isso significa que crianças não podem usar remédios tarja preta?

Não, mas significa que é necessário que o profissional de saúde tenha certeza do diagnóstico e de que outros tipos de tratamento não conseguiriam controlar o quadro antes de optar pelos medicamentos.

Muitos dos diagnósticos de TDAH são feitos em crianças que apresentam distúrbios de comportamento devido à falta de disciplina, conflitos familiares ou condições socioeconômicas. Embora o medicamento gere resultados positivos nesses casos, controlando o comportamento dessas crianças, outras medidas, como a psicoterapia, seriam ainda mais indicadas.

Dessa forma, o ideal é que a criança seja avaliada por uma equipe multiprofissional — pediatra, psiquiatra, psicólogo, terapeuta ocupacional, etc — e tente diversas formas de tratamentos comportamentais antes de iniciar o uso de medicamentos.

O que achou do nosso post? Quer conferir quais são as diferentes tarjas que podem ser usadas nos medicamentos? Clique aqui!

banners_termosfarmaceuticos_post

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.