Hipolabor alerta: conheça 8 remédios para dormir mais indicados pelos médicos

Hipolabor alerta: conheça 8 remédios para dormir mais indicados pelos médicos

Você toma ou já precisou tomar remédios para dormir? Hoje, estima-se que mais de 40% da população mundial sofrem com a insônia e pensam em tomar remédios para dormir. Esse problema pode se manifestar como uma dificuldade para pegar no sono ou mesmo para voltar a dormir depois de acordar no meio da madrugada.

Em muitos casos, a insônia ainda está associada a outros distúrbios do sono, como o bruxismo, o terror noturno e a apneia. Após a avaliação médica, é comum que algum remédio para dormir (hipnótico) seja prescrito ao paciente para tornar suas noites mais tranquilas.

Existem diversos remédios para dormir que são prescritos pelos médicos, mas cada caso é um caso e precisa ser avaliado separadamente. Neste post vamos explicar quais são as principais causas da insônia, os problemas da automedicação, os problemas que a insônia pode causar e, finalmente, que medicamentos para dormir são os mais receitados.

Quer obter todas essas informações? Então não deixe de acompanhar os tópicos a seguir e tirar todas as suas dúvidas sobre os remédios para dormir.

Quais são as principais causas da insônia?

A insônia pode ter causas diversas, e é por isso que qualquer pessoa que apresentar os sintomas desse mal deve sempre consultar um médico. Somente um profissional pode fazer exames e diagnosticar o problema, propondo o correto tratamento.

Entre as principais causas da insônia, podemos destacar as listadas a seguir:

Estresse

A rotina das pessoas está cada vez mais pesada e corrida, o que faz com que elas desenvolvam o estresse. Problemas no trabalho, preocupações com a família, dificuldades nos estudos, entre outras situações estressantes podem fazer com que as pessoas percam o sono e tenham dificuldades na hora de dormir.

Ansiedade

A ansiedade também acomete muitas pessoas, que têm o hábito de “sofrer por antecipação”, se preocupando com situações que ainda nem aconteceram. Essa preocupação faz com que o sono desapareça sempre que a pessoa se deita na cama, causando também a insônia.

Depressão

As pessoas que sofrem com a depressão também têm problemas relativos ao sono. Elas podem tanto dormir demais quanto simplesmente deixar de dormir.

Bruxismo

É chamado de bruxismo o ato de pressionar os dentes durante a noite, algumas vezes até produzindo sons. Esse ato inconsciente está relacionado a questões emocionais e, além de problemas na arcada dentária, também pode prejudicar a qualidade do sono, fazendo com que as pessoas acordem muitas vezes durante a noite.

Terror noturno

Apesar de ser mais comum em crianças, o terror noturno também pode ocorrer em adultos. Trata-se de um distúrbio similar ao sonambulismo, em que as pessoas podem sentar na cama, gritar, falar e até mesmo andar pela casa. Ao acordar depois de um desses episódios, fica difícil de pegar no sono novamente.

Apneia do sono

A apneia do sono é um problema grave, em que a pessoa ronca muito e pode até mesmo parar de respirar durante alguns segundos enquanto dorme. Assim como os outros problemas, quando ela acorda, tende a ter dificuldades para dormir, além de ter um sono de má qualidade, não descansando tanto quanto deveria.

Quais são os problemas que automedicação pode causar?

A automedicação é muito grave e deve ser sempre evitada. As pessoas precisam ter consciência de que um medicamento que fez bem para um amigo ou familiar pode não ter o mesmo efeito no seu organismo.

No caso da automedicação para insônia, os problemas causados pela prática podem ser ainda mais sérias. Como vimos no tópico anterior, a maioria das causas da insônia é por decorrências de questões psicológicas, de modo que os remédios para dormir, em sua maioria, são psicotrópicos.

Esses remédios, quando não administrados de maneira adequada, podem causar dependência e até mesmo desencadear outros problemas na saúde física ou mental do usuário. Por isso, essa prática tem que ser sempre evitada e os medicamentos devem ser tomados com orientação médica.

Quais são os principais problemas que a falta de sono adequado pode ocasionar?

A falta de sono adequado pode causar outros malefícios para a saúde das pessoas. Listamos, a seguir, os principais deles. Acompanhe!

Ganho de peso

Durante o sono o nosso organismo produz um hormônio que é chamado de leptina. Ele é o responsável pela produção da saciedade durante o dia. Além disso, quem não dorme bem produz uma substância chamada de grelina, que reduz o gasto de energia do corpo.

Essas duas alterações hormonais fazem com que as pessoas sintam mais fome durante o dia e também demorem mais para digerir os alimentos, desencadeando o ganho de peso.

Enfraquecimento da imunidade

Também é durante o sono que acontece a produção de anticorpos no nosso organismo. Desse modo, uma pessoa que não dorme bem não produz a quantidade necessária de leucócitos, que são as células que combatem os corpos estranhos no organismo.

O enfraquecimento da imunidade pode acarretar em outros problemas mais sérios, como a contaminação por doenças, principalmente as causadas por vírus ou bactérias. Logo, alguém que está com insônia também pode ter mais chances de adquirir gripes, resfriados, infecções e outras patologias.

Alterações no funcionamento do metabolismo

Quando alguém não dorme bem durante a noite, tem alterações no funcionamento do seu metabolismo. Isso gera cansaço, ansiedade, dores pelo corpo, aumento da fome etc.

Tudo isso pode interferir na qualidade e na concentração ao executar tarefas do dia a dia, como trabalhar e estudar. Essa pessoa também fica mais suscetível a sofrer acidentes de trabalho.

Envelhecimento precoce

É também durante o sono que produzimos a melatonina, um hormônio que atua nas funções calmantes e reparadoras da pele. Desse modo, o envelhecimento precoce pode ocorrer, favorecendo o aparecimento de rugas e olheiras.

Alterações de humor

A falta de sono faz com que o nosso cérebro não descanse como deveria, o que dificulta a boa comunicação entre os neurônios. Assim, as alterações de humor são constantes em quem sofre de insônia.

Perda de memória

Quando dormimos, o nosso cérebro trabalha para transformar as nossas memórias de curto prazo em memória de longo prazo, fazendo com que fiquem registrados na nossa mente os acontecimentos relevantes de determinada data.

Quando o sono não é adequado, pode haver perda de memória e mais facilidade para esquecermos momentos marcantes das nossas vidas ou então não nos lembrarmos com exatidão do que aconteceu.

Desregulamento da pressão arterial

Uma noite mal dormida faz com que o nosso organismo fique em um constante estado de alerta. Tal situação faz com que a pressão sanguínea aumente, podendo gerar a hipertensão de forma definitiva.

Esse problema é ainda mais grave para as pessoas que já têm predisposição à hipertensão ou que tomam medicamentos para isso — os remédios podem não fazer o efeito esperado por conta da falta de sono.

Quais são os remédios para dormir mais indicados pelos médicos?

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a insônia, chegou o momento de saber quais são os remédios para dormir mais indicados pelos médicos, lembrando mais uma vez que a automedicação nunca é indicada. Vamos falar um pouco sobre cada um deles. Veja nos tópicos a seguir.

1. Amitriptilina

Da classe dos antidepressivos tricíclicos, a amitriptilina inibe a recaptação da serotonina e da norepinefrina no cérebro. Além disso, ajuda a melhorar o humor e a diminuir a ansiedade.

O medicamento causa sono e sedação como efeito colateral, o que permite seu uso como hipnótico. Embora o efeito antidepressivo demore de 2 a 4 semanas para surgir, é comum que os pacientes relatem uma melhoria imediata nas noites de sono.

2. Nortriptilina

Assim como a amitriptilina, a nortriptilina é um antidepressivo tricíclico com efeitos colaterais hipnóticos. A escolha por medicamentos dessa classe, no entanto, é feita quando o paciente apresenta depressão associada à insônia.

3. Clonazepam

Um dos benzodiazepínicos mais utilizados, o clonazepam é um remédio para dormir que tem efeito tranquilizante e sedativo. Com isso, ajuda no relaxamento muscular e no término de crises convulsivas.

Como os outros medicamentos da classe, o clonazepam aumenta a ação do neurotransmissor GABA, reduzindo a função cerebral e gerando sono. Se usado constantemente, pode provocar dependência. Também há chances de a insônia piorar como resultado da abstinência.

4. Diazepam

O diazepam pertence à classe dos benzodiazepínicos e pode ser usado para o tratamento de ansiedade, abstinência alcoólica, convulsões e insônia. Seu efeito é rápido, mas duradouro. Além disso, permite o controle da insônia durante a noite toda.

No longo prazo, no entanto, esse medicamento provoca dependência e sintomas de abstinência ao ser suspenso. Por isso, é importante que ele e os outros benzodiazepínicos sejam usados por períodos curtos. Também devem ser combinados com medidas de higiene do sono e terapia cognitivo-comportamental para que a insônia crônica possa ser resolvida.

5. Zolpidem

O zolpidem é um medicamento novo derivado da imidazopiridina, que permitiu o tratamento da insônia sem os efeitos colaterais dos benzodiazepínicos.

Apesar de também agir no receptor do GABA, seu mecanismo de ação é diferente e sua ação principal é a indução do sono, sem alterar sua estrutura, causar dependência ou abstinência.

6. Zopiclona

A zoplicona tem como principal ação a manutenção do sono durante a noite, mas também tem propriedades ansiolíticas, anticonvulsivantes e relaxantes musculares. Além de não alterar a estrutura do sono, a zoplicona gera um efeito de dependência e abstinência menor do que os benzodiazepínicos.

Apesar de todas essas vantagens, ela costuma provocar um gosto amargo na boca, o que reduz a aderência ao tratamento.

7. Melatonina

A melatonina não induz o sono, mas ajuda a sincronizar essa função, uma vez que sua ação hormonal está diretamente relacionada ao controle do relógio biológico e do metabolismo. Geralmente esse medicamento é indicado para o tratamento de insônia leve e moderada em idosos.

Como a venda da melatonina no Brasil só foi liberada pela ANVISA no fim de 2016 –– ela ainda é restrita a farmácias de manipulação com apresentação de receita médica ––, seu uso se encontra em crescimento.

8. Trazodona

A trazodona é um antidepressivo atípico com ação semelhante aos benzodiazepínicos e antidepressivos tricíclicos. O medicamento atua contra a depressão, ansiedade e insônia, sendo um bom indutor de sono em pessoas que também sofrem dessas outras patologias.

9. Remalteona

A remalteona é um medicamento novo e que foi regulamentado pela Anvisa em 2017, conforme mostra uma reportagem publicada na revista Veja. Ele é recomendado para as pessoas que têm dificuldades em iniciar o sono.

Enquanto a maioria dos medicamentos contra a insônia desacelera o sistema nervoso central, a remalteona tem um funcionamento diferenciado. O medicamento imita a melatonina, um hormônio que contribui para a regulação do sono.

10. Bromazepam

O bromazepam é um remédio indicado pelos médicos para tratar problemas como a ansiedade, a tensão e outras questões de origem psicológica. Ele também pode ser receitado para pessoas que têm transtornos no humor, como o transtorno bipolar e a esquizofrenia.

Em doses adequadas e em determinados casos, o bromazepam também pode ser utilizado para tratar a insônia, pois seu princípio ativo faz com que determinados problemas psicológicos sejam amenizados.

11. Alprazolam

A insônia, conforme já dissemos, é causada principalmente por conta de quadros de ansiedade, e é justamente para esse tipo de tratamento que os médicos recomendam o uso do alprazolam.

Esse remédio é indicado para que a ansiedade seja tratada, principalmente nos casos em que o transtorno está relacionado a outros fatores como a abstinência de álcool e outras drogas, transtorno do pânico etc.

Existem remédios para dormir naturais? Quais são eles?

Além dos medicamentos encontrados para venda nas farmácias e drogarias, também existem remédios naturais e soluções caseiras que ajudam a dormir melhor. Vale lembrar, no entanto, que essas opções são válidas para casos mais simples da insônia ou como forma complementar às drogas prescritas pelos médicos.

Na sequência, vamos apresentar alguns remédios para dormir caseiros, que podem servir para o combate à insônia.

Suplementos de magnésio

O magnésio é uma substância que ajuda o cérebro a relaxar e “desligar” mais facilmente, proporcionando mais facilidade para dormir. O componente pode ser encontrado em alimentos como germes de trigo, folhas verdes, amêndoas, sementes de abóbora e verduras em geral.

No entanto, além da ingestão natural por meio de alimentos, também pode ser adquirido o suplemento de magnésio, que é encontrado para venda em farmácias, drogarias e lojas de artigos nutricionais.

Leite morno

É comum ouvirmos das pessoas mais velhas que é recomendado beber um copo de leite morno antes de dormir. Essa sabedoria popular é verdadeira, pois o cálcio presente no leite faz com que a produção de melatonina ocorra de maneira natural.

A melatonina é um hormônio que ajuda a regular o sono, contribuindo para que os quadros de insônia sejam amenizados. É por isso que o consumo desse alimento antes de dormir é recomendável para quem deseja ter uma noite mais tranquila e agradável de sono.

Raiz valeriana

Bastante popular e encontrada facilmente em boticas e lojas de produtos naturais, a raiz valeriana é uma planta medicinal que é utilizada como remédio para dormir há muito tempo.

Os povos antigos, por exemplo, utilizavam a raiz valeriana como um sedativo para pessoas que sentiam muita dor. Em doses moderadas, a erva pode ser utilizada para tratar problemas do sono e diminuir a frequência da insônia.

No entanto, se você tomar chás ou remédios à base de raiz valeriana e não sentir efeito imediato, não significa que está fazendo algo errado. Isso é normal, pois a erva tem um efeito que pode demorar algumas semanas para ser notado.

Chá de camomila

O chá de camomila é um calmante natural, muito utilizado por pessoas que têm estresse ou que ficam nervosas com muita facilidade. Tal fato encontra justificativa por conta da camomila produzir uma substância chamada de apigenina.

A apigenina é responsável por fazer ligação com os receptores GABA, que relaxam o nosso sistema nervoso, gerando a sonolência. Além disso, o chá é muito saboroso e agradável de se tomar alguns minutos antes de ir dormir.

Óleo de lavanda

O óleo de lavanda é um calmante natural, fazendo com que a qualidade do sono melhore quando ele é aplicado no corpo. Fazer um banho quente com o óleo, antes de dormir, é importante para que o corpo e a mente fiquem mais relaxados.

Passiflora

A passiflora é uma planta medicinal que tem uma composição muito rica em flavonoides e alcaloides, dois elementos que contribuem para a redução da atividade motora, além de ter uma ação sedativa. Assim, o consumo da passiflora contribui para que o sono seja prolongado, evitando casos em que a pessoa acorda muitas vezes durante a noite, por exemplo.

Essa planta pode ser encontrada in natura, para que se possa fazer chá, ou em cápsulas, no formato de suplemento — que pode ser ingerido em pequenas doses antes de ir dormir.

Erva-cidreira

O chá de erva-cidreira é muito consumido e suas propriedades calmantes melhoram muito a qualidade do sono das pessoas. Essa erva pode ser encontrada em diversas feiras de produtos naturais, lojas do tipo, boticas e até mesmo farmácias e supermercados, já desidratada.

Suco de cereja

A cereja é uma fruta muito rica em triptofano, um aminoácido que estimula a produção de melatonina e serotonina, portanto, contribui para o aparecimento do sono. Além disso, o suco de cereja também faz com que o sistema nervoso entre em sincronia com o relógio biológico, fazendo com que quem o consome sinta sono nos horários adequados para isso.

Além da cereja, outra fruta que contém o triptofano e que pode ajudar no combate à insônia é a banana.

Como você pôde ver, existem diversos remédios para dormir disponíveis no mercado, mas consultar um médico antes de utilizar qualquer um desses medicamentos continua sendo indispensável para evitar problemas futuros.

A Hipolabor é uma indústria farmacêutica que se preocupa com a formação e qualificação de novos profissionais. Por isso, desenvolvemos sempre materiais interessantes como este. Para continuar aprendendo, recomendamos o nosso Glossário aplicado: termos farmacêuticos essenciais para o dia a dia. Boa leitura!

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba nossas novidades.